Total de visualizações de página

Tal qual uma matrioshka (boneca russa), vamos desvendando nossas porções. A cada novo tempo, uma nova aprendizagem. Agora é o momento de nos vermos como seres holísticos que têm: corpo, organismo, cognição (intelecto), inconsciente (desejo) e mente (consciência, espírito).

ANGELINI, Rossana Maia (2011)

“A falsa ciência cria os ateus, a verdadeira, faz o homem prostrar-se diante da divindade.”

VOLTAIRE (1694 -1778)

quarta-feira, 6 de abril de 2011

Sobre a Construção dos Processos de Leitura e Escrita: Alfabetização - no Paradigma da Pós-Modernidade.
  Rossana Maia Angelini

 A Teoria dos Sistemas pensa nos princípios de organização, em vez de picotar as coisas, ela olha para os sistemas vivos como um todo. A partir de uma concepção tradicional, como se pode falar de alfabetização, sem falar em letras, sons e sílabas?! Dentro do paradigma da pós-modernidade, para compreender as coisas não é preciso separá-las. É possível explicá-las, sem mencionar as partes.
         Um cartesiano olharia para a alfabetização e a dissecaria, mas então, ele jamais entenderia a natureza da alfabetização. Um pensador de sistemas veria as trocas entre as palavras, a criança e seu contexto. Ele veria o ciclo, as relações, a criança, o contexto e a alfabetização enquanto uma construção de processos de leitura e escrita.
         Um pensador de sistema veria a alfabetização somente em relação à vida de toda a criança. Ele veria a criança como o mundo das palavras, do discurso, da autoria. Se ele olhar a criança e a construção dos processos de leitura e escrita como um sistema vivo maior, haverá maior abundância de crianças alfabetizadas e tudo fará sentido.
         Interdependência! A alfabetização não sobrevive sozinha. É a construção de um processo. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário